sábado, 22 de fevereiro de 2014

Infância - O que te marcou?

Cada pessoa teve algo que marcou sua infância, algo que hoje, ao lembrar desse determinado "algo", nos faz sorrir e ter uma maravilhosa lembrança. Uma saudade avassaladora invade nossos corpos e nos faz viajar pelos universos do invisível dos olhos.
O que marcou minha infância foi um livro chamado "Detetive quatro-olhos e o roubo misterioso" do autor Jean-Loup Craipeau de 1995.


O ganhei quando tinha 8 anos de idade... Nessa época, o livro não estava mais a venda. Então, meu pai voltando do serviço, encontrou com um amigo dele e o cara deu esse livro para o meu pai, que por fim, quando chegou em casa, o deu para mim. Com 8 anos eu já sabia ler e escrever muito bem. Com essa idade, eu estava na segunda série do primeiro grau (atualmente mudou). Sempre gostei muito de ler e esse com certeza, foi um dos melhores presentes que eu ganhei.
Com uma história simples e com aproximadamente 50 páginas, é um livro que te cativa a cada página lida.

Sinopse: 
O livro se passa em primeira pessoa, o protagonista que conta a história. Para não dar o famoso "Spoiler",resumidamente, Se trata de três jovens que vão desvendar um mistério do roubo da joalheria, junto com seus três amigos camundongos. Com romance, aventura e muita comédia... É um livro simples, mas que encanta.

Então é isso, galera. 
Gostou da postagem? Então comenta aqui ou deixe sua mensagem na caixa azul velha de guerra ali ao lado kkkkk... E me conte, o que marcou a sua infância?

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Do amor

Há vários tipos de amor. Aquele que te preenche, aquele que te aconchega e aquele que você sacia sua vontade.
O que te preenche, é sua metade ou alma gêmea.
O que te aconchega, é o amor dos pais e amigos.
O que te sacia a vontade, é o amor pelas coisas materiais.


Eu irei escrever sobre o o amor que te preenche. Aquele que é oferecido pela sua alma gêmea, seu companheiro (a). Nesse tipo de amor, há dois subtipos: O que arde e o que fere.
O que arde, vem acompanhado da paixão, um conjunto de emoções que libera tantas substâncias no nosso corpo que nos faz sentir nas nuvens, nos faz sentir coisas que até os outros duvidam.
E tem o que fere, aquele que mesmo quando há amor, não dá certo de jeito nenhum, nem que a gente queira que dê. O que não está escrito nas estrelas, não está no universo do coração.
O amor é um sentimento complexo, a começar pelo abstrato. A gente nunca consegue provar o que a gente não vê, então, cabe a nós sentir-mos esse mar de ondas de calor. Talvez esse seja o grande desafio das pessoas em amar, atualmente, sentir.
Até hoje não sei o que é amar desse jeito, por que eu acho que nunca preenchi ninguém, nem mesmo aquele eu tanto amo. As vezes, as pessoas são tão independentes que nos remete a sensação de perda a qualquer momento, a insegurança, mas, a gente esquece que, é preencher e não precisar. Na singularidade da palavra, eu tenho minha vida e o outro tem a dele, vamos nos tornar um só coração. Vamos preencher um ao outro, mas sem deixar de lado nossas particularidades, por que afinal, o que um tem, o outro completa.
As vezes penso que eu não nasci para o amor que preenche, eu não sei lidar com isso ainda. Enquanto aprendo, muitos são magoados, inclusive eu.
O problema do amor também é o orgulhoso e o pensamento que a pessoa tem de nunca pedir desculpas ou assumir seus erros. Ela presta atenção nas coisas que você faz, um controle e quando você pisa na bola, não importa se ela tenha errado, ela vai se agarrar nesse seu erro e ir até o final para ganhar... "eu fiz isso? E você que fez tal coisa..." é o cúmulo.
No mais, todos tem um jeito diferente de amar o mesmo amor que preenche...

Uma música para este texto:



terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Paciente 23

"Eu sentirei sua falta, Abi, assim como nosso corpo sente a falta do oxigênio. De certo que morrerei aos poucos, sem você."

Natanel é um homem honesto e muito bem educado. Estudou bastante e ralou muito para ser um grande colunista na revista 'B.S - Novidades'. Depois de alguns anos, finalmente ele conseguiu ser o chefe da coluna saúde e como consequência, foi mandado para entrevistar um famoso médico psiquiatra. Natanael entrará em um túnel e verá que sua vida tem muitos segredos a serem revelados, segredos que até então ele ainda não sabia.


Depois do HD do pc queimar e levar junto com ele todo meu trabalho de Elo de sangue, resolvi escrever um outro livro, um diferente de tudo que eu já tenha escrito... Como de suspense ou terror.
Fiquei super triste e enquanto o outro livro não chega, vou escrevendo o 'Paciente 23' - Esse enredo foi baseado em um sonho que eu tive, foi assustador e eu acordei no meio da noite kkkkkkkk... Então resolvi criar a história e essa foi a sinopse dele (como sempre, eu escrevo péssimo) kkkkkkkk... Mas mesmo assim, meu sonho é ser escritora.
Espero que gostem... Beijos galáxicos :D

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Music box

Quem nunca teve uma caixinha de música? Daquelas com uma musiquinha tão bonita e suave que tocava toda vez que abríamos a caixa? Um som tão adocicado que nos fazia lembrar da infância...
Há algum tempo descobri que algumas músicas comuns também tinham sua versão music box e eu realmente adorei, por que achei tão lindo, as músicas que já eram lindas e serem transformadas para uma versão mais lenta e tocada apenas por um instrumento, a celesta. Parece até uma canção de ninar.

Aqui alguns exemplos, é claro que, nem todas as músicas tem a versão music box, mas não custa nada tentar procurar...

Coldplay - The Scientist



Christina Perri - A Thousand Years 



A música da bela e a Fera *-*


E uma das minhas favoritas, When you believe da Whitney Houston e Mariah Carey



Então é isso galera, para quem gosta, deixe um comentário aqui ou na caixa azul velha de guerra ali do lado :D
e me segue, tudo bem? Beijos galáxicos

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Iced Earth - Watching over me

Uma amigo me passou essa música e como sempre eu faço, quando gosto de uma música, procuro o solo dela em piano... E aqui está o solo da vez.

Clique aqui para ouvir o solo

Como eu não consegui postar o vídeo pelo youtube, então coloquei o link... Não sei exatamente de quem é esse cover, mas acredito que seja da Angela Pap (a dona do canal, onde foi publicado o vídeo).



Beijos galáxicos... ;)

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Hiposfagma

Hoje resolvi postar sobre o hiposfagma ou derrame ocular... Nossa! Falou tudo... Em grego kkkkkkk...
Todo mundo já deve ter sido um anjinho de candura e sem querer querendo, já tropeçou, caiu, se cortou ou foi atropelado (brincadeira) na vida, isso ocasionou um sangramento em algum lugar, certo? E quando esse sangramento acontece no olho?


Nossos olhos contém diversos vasos sanguíneos frágeis como os capilares e sendo assim, facilmente rompidos. Quando isso acontece, o sangue vaza para o espaço entre a esclera (parte branca) e a conjuntiva (membrana fina e transparente que recobre a esclera) e se espalha pela parte externa, deixando o olho vermelho, geralmente em um determinado canto, fica aquele sangue vivo.
Isso acontece por variados fatores, sejam eles por problemas de coagulação, remédios como o AAS (Ácido acetilsalicílico), hipertensão, glaucoma, efeitos colaterais de remédios quimioterápicos e situações que aumentam a pressão intra-abdominal ou torácica (vômitos, espirros, tosse, prisão de ventre...).
A pessoa que apresenta o hiposfagma, normalmente não sente nada, em alguns casos, pode haver uma leve dor no canto do olho, mas em geral, é assintomática. A criatura só vai saber que teve um derrame ocular quando se olhar no espelho ou outra criatura falar que o olho dela está vermelho... 
A hemorragia subconjuntival, embora assustadora, não é grave e nem motivos de preocupação... Compressas com gelo e colírios lubrificantes são alguns dos remédios que podem amenizar o aspecto do problema, mas ele dura em torno de alguns dias (1 ou 2 semanas) para sair. Esse é o tempo que o nosso organismo leva para absorver o sangue e vida que segue kkkkkkk...
Agora fique em alerta, o hiposfagma é uma hemorragia superficial, não pode ser confundida com uma hemorragia intraocular. Se a pessoa apresentar um sangramento no olho, apresentar uma baixa visão, procure um oftalmologista. Que nestes casos, já são mais graves.

Nota: Mesmo sendo superficial, sempre é bom procurar um oftalmo para descargo de consciência, pois o hiposfagma não costuma ser frequente... Caso seja, o paciente poderá fazer uma biópsia para descobrir se há alguma lesão ocular. Concluindo, nunca brinque com a saúde. Sempre vá ao médico... Mesmo não estando doente.


quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Corciolli - Highlander

Toda vez que ouço esta música, sinto uma lembrança não vivida. Uma lembrança que está em minha mente, mas que eu não vivi... Estranho, não?

Do alto das montanhas ela vem com toda sua força, chiando e molhando tudo até chegar ao chão. A água toca o chão, formando um lindo lago. A cachoeira. Uma jovem está tocando serenamente sua cítara, sentada sobre uma pedra, de repente, um som doce e suave surge ao fundo da floresta. Uma rapaz.
Um olhar cruza no outro e por um momento pareciam duas almas que tinham acabado de se conhecer. Ela levanta e deixa sua cítara ao chão, ele, continua tocando a flauta com os olhos fechados... Ainda assim, continuava a ver a linda moça dançando. Com o coração.




domingo, 2 de fevereiro de 2014

Solo de piano

Achei essa música instrumental no youtube e gostei tanto que resolvi postar aqui.

Meagan Nouis - How nice



Era uma noite chuvosa, tão chuvosa e barulhenta que não se escutava os pingos da verdadeira chuva. Aquela que caía cadenciada no chão. Aquela tão corriqueira e salgada.
Como se cada pingo trouxesse uma lembrança adocicada e que conforme ia sendo saboreada pela língua, tornava-se amarga... Por que eram apenas lembranças de um tempo simples, mas feliz.

- Criei esse texto por que achei que combinava com a música