segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Prévia

Ninguém nunca conhecerá o amor de fato, até senti-lo verdadeiramente. O amor vai além das palavras que alguém já escreveu, vai além da explicação do por que que o coração sente, o que está no cérebro.
Amar não é viver sem a outra pessoa e também não é deixar de viver por que ela não convive mais em você, amar é simplesmente buscar o indecifrável da palavra, assim como cientistas buscam incansavelmente respostas neste universo tão extenso e escuro.
O amor não pode ser comparado com a chuva que cai, não pode ser comparado com um simples beijo e nem o ato sexual. O amor não pode ser comparado com nada que existe na terra, com nada que possa ser visto ou tocado por nós.
O amor foi uma obra prima que os anjos, distraídos, deixaram cair em nossas mãos. Cada um intepretou de forma diferente e nossa missão é encontrar a pessoa que interpretou, esta arte, de modo igual ao nosso. Só assim nos tornaremos completos... Muitas versões do amor foram feitas, como filmes, músicas, peças e afins... Sempre disseram que quando uma pessoa chora pela outra, é por que ela ama a pessoa verdadeiramente. É verdade, pois as lágrimas é apenas mais uma versão do amor e ela pode ser triste ou alegre.
Expressar o que se sente não é fácil, até para aqueles que são românticos até o último fio de cabelo, por que o amor é tão complexo para o ser humano quanto uma planta que vive, mas não fala.

"O amor foi uma pintura abstrata e colorida pintada por inocentes celestiais que foi corrompida pelo homem."



terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Um pouco de mim

Eu não gosto de locais apertados e com muita gente, eu não gosto do escuro, eu tenho medo de altura. Eu não confio em quase ninguém, não costumo demonstrar e falar dos meus sentimentos. Não é habitual eu ficar a todo momento "atrás das pessoas" e isso não significa que eu as tenha esquecido. Todos ficam muito bem guardados em minhas lembranças e eu não esqueço de quase nada.
Eu sou fria todas as vezes que eu receber algum tipo de desprezo. Meu príncipio é ser educada sempre, mas não serei se a pessoa não for também.
Tenho a péssima prática de não sorrir quando estou triste, eu não sei esconder a tristeza e também não sei comentar sobre elas.
Odeio a solidão, porém me acostumei com ela.
Eu não tenho amigos e não tenho o hábito de chamar ninguém de amigo. Tenho a opnião formada de que amigos, colegas e afins, não dizem "eu te amo", essa expressão não é bom dia. Dificilmente falarei, pois não me familiarizo com estas palavras.
Eu não choro com facilidade e quando choro, não o faço na frente dos outros.
Não me chateio com tanta facilidade, tenho muita paciência. Não guardo rancor, embora eu não esqueça dos acontecimentos. Minha mágoa é mometânea, mas eu nunca esquecerei.
Gosto de conversar, entretanto, dependendo das pessoas, fico calada. Sou observadora, analista e detalhista. Gosto do colorido e da luz. 
Eu não tenho o ato de andar sozinha e detesto.
Gosto de ficar em casa.
Eu gosto de rock e sou fã de Sonata Arctica.
As vezes enrolo para chegar a uma conclusão. Tenho uma mente confusa e dois lados de uma personalidade, em conflito.
Eu sempre penso antes de falar e agir, raramente faço isso por impulso.
Adoro a fantasia, contudo, minhas atitudes são racionais.
Sou carinhosa, atenciosa, cortês com todas as pessoas que eu concluo que merecem e nunca, faço algo só por mim... As minhas decisões teem que ser boas para mim e para as pessoas que me cercam.
Não sou "maria vai com as outras", só costumo ter várias opniões ao mesmo tempo. Tenho uma ética e moral muito forte, se eu quero alguma coisa e ela não for certa ou boa, eu não farei.
Se eu for "legal" com alguém e eu descobrir que o indivíduo faz pouco caso, um dia, ela vai desejar nunca ter me conhecido... Por que o desprezo vai doer até em mim.
Eu não sou doida, apenas brincalhona. No mais, eu sou bem tolerante.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Acho que quase todos já passaram por um momento de tristeza, um momento na qual a gente tem certeza que não exista saída. É assim que me sinto agora, como uma lagarta que anseia ser uma borboleta.
Eu quero algo para minha vida, mas não sei por onde começar, não sei o que fazer, ou eu sei fazer e me falta a vontade de querer, motivação. Não sei por que isto está acontecendo... Não quero mais que ninguém fique me tachando de inútil.
Entra dia e saí dia e eu aqui ficando para trás. Isso dói tanto.
Eu queria ser rica... Que falta me faz o dinheiro, não sou gananciosa, mas é por que se eu tivesse, muita coisa mudaria.
E eu estou atrasando a vida das pessoas que querem o meu bem. Eu tenho medo de ficar doente, tenho medo de enlouquecer...
Tenho medo da solidão e do escuro, mas eu estou com eles já tem algum tempo.
A vida não é um teatro, ela é real e isso é o que mais me machuca. Escondida nas fantasia e perdida na realidade, eu não consigo sair dessa "peça" e as cenas se repetem a todo momento como um "dejavu".
O que eu posso dizer? Só quero ficar sozinha por um tempo e pensar no que fazer... Eu não consigo decidir nada ainda. Eu preciso decidir.
Ninguém pode me ajudar a não ser eu mesma...

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Sem vontade de prosseguir

Ninguém entenderá minha tristeza a não ser eu mesa e ninguém poderá me ajudar se eu não quiser prosseguir.


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

É...





A almofada das "faces do amor" que eu tinha mencionando em um post... Aqui está kkkk






"E a emoção do nosso amor, não dá pra ser contida. A força desse amor, não dá pra ser medida. Amar como eu te amo, só uma vez na vida"


Uma foto relíquia do natal conturbado de 2012... Eu e o Lito *-*