quarta-feira, 19 de abril de 2017

Depressão: Precisamos falar sobre isso

Hoje o assunto não é engraçado e nem convidativo. Ultimamente tenho visto tanta notícia sobre suicídio de jovens, sobre esse tal jogo da "baleia azul" que isso me fez recordar do meu passado escolar, um passado que eu demorei muito para digerir. A verdade é que tudo isso tem uma única palavra: Bullying, o começo de tudo.


Que todo mundo já sofreu um tipo de brincadeira na vida, isso não é novidade, mas quando essa brincadeira passa a ser humilhante e de forma constante, começa a ser o famoso bullying, é claro que não acontece só em ambiente escolar, mas é o mais frequente.
Vivemos em uma sociedade vaidosa, onde o culto pelo corpo e a exaltação da beleza é muito forte, estamos em uma sociedade doente, na qual a maioria das pessoas querem seguir um determinado padrão e acabam perdendo sua identidade, perdendo sua essência, o seu verdadeiro eu. Olhe ao seu redor, as meninas, o meninos, eles não parecem ter os mesmos estilos? Os mesmos cortes de cabelo e as vezes, as mesmas atitudes? E quem é o famoso "diferentão" acaba sofrendo apelidos, humilhações por ter uma identidade visual diferente e na cabeça dos agressores, isso é normal. Meus queridos, isso não é normal, não é nada normal você ofender alguém que seja diferente de você. Para pensar nas consequências disso. Tem pessoas que tem a mente livre, que não ligam para as chacotas, mas a maioria... Ah a maioria... Ficam acoadas e se fecham em seu próprio mundo, por que são incapazes de enfrentar os agressores. Vão guardando os ressentimentos, cultivando tristeza e semeando dentro do coração, aquele sentimento de derrota, de que não é bom o bastante. Todo ser humano quer ser aceito e quer ser amado, é uma ordem natural e se isso não acontecer, a depressão se instala.
Depois de instalada a pessoa passa a viver sobre uma nuvem negra e o sol começa a aparecer menos na vida delas. Isso tudo é silencioso. Ninguém consegue perceber por que é uma tempestade interna e a pessoa usa máscaras de alegria para disfarçar que não está bem e o bullying prossegue. Qualquer asfalto liso pode ter buracos depois de dias chovendo no mesmo lugar. Depressão é a mesma coisa. Um dos pontos mais importantes são os pais, o alicerce de tudo. Eu sempre digo isso no quadro "papo de filhos" e volto a repetir: Tenham diálogos com seus filhos. Só assim você saberá o que se passa com eles. Não ache que ele é igual a você. Você sofreu quando era mais novo e mesmo assim prosseguiu? Não pense que 2017 é como o ano em que você viveu. Olhe ao seu redor, estamos cercados pela mídia, que nos influencia o tempo inteiro. A internet está aí com tanta informação ruim e que acaba influenciando também. As crianças de hoje são mais frágeis que as crianças de antigamente. A era digital é perigosa e os pais precisam ter consciência disso. Não achem que depressão é frescura, que é falta de "Bater nos filhos" - As pessoas tem o preconceito muito grande com pessoas com doenças mentais. Galera, o cérebro é um órgão como outro qualquer e ele também fica doente. Depressão não é um problema só mental e sim fisiológico também, por que você acha que quem é depressivo tem que tomar remédio?
Não é frescura, isso é muito sério. Eu entendo perfeitamente por que eu já passei por isso na minha vida e digo que o sentimento é um dos piores. Se sentir um lixo e não ter vontade de fazer nada? Achar que existe algo de errado com você, por que você não é de tal maneira? Isso não é legal. Ter pensamentos suicídas? Sim, eu também tive e sei muito bem como é se sentir pressionado, por que uma parte de você quer se libertar do sofrimento e a outra te diz que isso é errado, que você deve lutar. Mas como fazer isso se ninguém te ajuda? Se ninguém te diz o que fazer?
O bullying que eu sofri na minha escola me renderam 3 anos de terapia e até hoje, eu tenho sequelas. Posso dizer que estou 100%? Não. Mas também aprendi a controlar os pensamentos e me erguer toda vez que eu cair.
A igreja funcionou? Sim... Para mim funcionou. Talvez tenha sido isso que me fez seguir em frente e procurar ajuda. Na época eu sabia que tinha alguma coisa de errada comigo. Eu não ria mais e ficava reclusa e quando eu tinha pensamentos ruins, eu rezava.
Para algumas pessoas, Deus não seja a solução. Sinto dizer isso, mas cada pessoa acredita em algo diferente. Então se você quer ajudar alguém, primeiro tente elevar a estima dela, depois faça ela procurar ajuda e por fim, faça ela procurar uma igreja. Qualquer pessoa que tenha uma fé abalada, vai se recusar de procurar Deus no primeiro estante. Então a trabalhe primeiro para esse encontro.
Eu me sinto muito triste por essas coisas estarem acontecendo com muita frequência, por que isso é um assunto sério e que ninguém está nem aí e só sabem apontar o dedo e dizer que falta disso e aquilo. Lembrem que falar, só vai fazer a pessoa ficar péssima. O certo é fazer acontecer e prestem atenção nos seus amigos ou filhos.
Outra coisa não menos importante: Se alguém disser que vai se suicidar. Não ache que "quem fala, não faz" apenas preste atenção. As vezes a pessoa quer ter certeza de que você está preocupado, Se deixar para lá, ela vai se suicidar.


Espero que tenham gostado da postagem, eu realmente estou muito triste por isso. Iria fazer um vídeo, mas acredito que eu não iria falar tão bem, quanto escrevendo. Também gostaria de indicar a série da netflix "13 reasons why" que tocou na ferida e foi muito bem produzida. Não é a toa que está fazendo muito sucesso!
E é isso, caotinhos, se gostou, comente aqui embaixo o que acha desse tema ou se você já sofreu humilhação e não esquece de curtir a página do face e de se inscrever no canal! Beijos galaxicos

terça-feira, 18 de abril de 2017

Past continuous - T02 E01 - A festa

O fim de semana tinha chego e Camila estava parada na frente do espelho, olhava a si mesma. Como ela estava diferente. Não tinha a mínima vontade de ir na confraternização, ainda mais que não conhecia Kevin muito bem. Mas por Amanda, decidiu ir. Pegou o celular e ligou para a menina:

__Já está pronta?
__Estou terminando, ei, você pode me esperar na frente do Mc Donalds?
__Tudo bem, vou esperar uns 10 minutos, daí eu saio!
__Beleza, beijos!
__Beijos.

20 minutos depois, Camila estava em pé na frente do fast food, esperando, começou a ficar preocupada já que Amanda estava demorando muito. Quando o celular tocou:

__Camila? Gata, meu salto quebrou e agora? Vou demorar mais um pouco
__Amanda, é só uma festinha, coloca uma rasteira, "muié"
__Será? Tudo bem, chego aí em 5 minutos.
__Beleza, beijos!
__Beijos, amiga!

10 minutos depois, Amanda apareceu na esquina e Camila quase se engasga com a própria saliva. Se a vida dela tivesse trilha sonora, com certeza ela viria desfilando ao som de I will survive. A blusa era mais brilhante que o poste na frente do Mc Donalds e a calça boca larga cor preta e muita maquiagem. Camila ficou com os olhos esbugalhados.

__Que foi? - Amanda suspirou
__Você vai para uma discoteca? - Camila soltou uma gargalhada, mas como já estavam 30 minutos atrasadas, disse que ela estava ótima, só para não ter que esperar mais. As duas seguiram para o ponto de ônibus e foram para a casa de Kevin.
Chegando lá, as duas notaram que haviam muitas pessoas, será que era aniversário de Kevin e ela não sabia? Mas pelo que ela lembrava, Kevin fazia aniversário no fim de ano, então não poderia ser. A primeira coisa que notou, foi Vinícius cercado por duas meninas muito bonitas e bem arrumadas. Não lembrava delas. Talvez essa confraternização tivesse acontecido e ela não foi convidada. Até que 2011 estava lhe mostrando coisas que ela não tinha vivido.


__Camila, você veio! - Júlio apareceu dando-lhe um beijo na bochecha.
__Oi, nossa, eu não sabia que era um aniversário, se não eu teria vindo mais arrumada - Camila ficou corada.
__Que nada, é só uma festa mesmo, não tem nada a se comemorar, o Kevin gosta de fazer isso vez em quando. Essa é sua amiga? - Júlio se segurou para não rir da roupa da menina - Gostei do estilo - Mentiu.
__Essa é a Amanda, lá do cursinho também - Camila apresentou os dois e a amiga estava muda.
__"Fala alguma coisa" - Sussurrou...
__Ah... er... Prazer - Amanda falou gaguejando toda sem jeito.
__Pois é, entrem, pode entrar - Júlio abriu espaço e as duas entraram. A primeira coisa que veio na mente de Amanda foi a música It's raining men e riu sozinha. Camila a olhou desconfiada e viu que ela estava bem a vontade. Então seguiu para a mesa de comida pegar salgadinho.


Coxinha, empadinha e rissole eram seus favoritos, observava Amanda conversando com Kevin, aquilo era bizarro de se ver, de repente, sua mão encostou na mão de outro alguém que tentava pegar coxinha também. Olhou depressa e ficou surpresa.

__Carlos! - Falou assustada
__Eu não sou tão feio assim - Ele riu colocando a coxinha inteira na boca.
__Não, é que, nossa, é muito estranho te encontrar por aqui.
__Por que? O Kevin é um amigão meu. A propósito, você ligou para mim, mas quando eu retornei, só dava na caixa postal.
__Sério? Acho que deve ser o sinal que estava ruim - Camila riu e se sentiu de uma maneira confortável. Parecia obra do destino encontrar com o "Timo" naquele momento. Mas tudo que era confortável, passou a ser uma situação chata, quando Vinícius se aproximou e falou em tom irônico.
__Oi, Carla... Digo, Carlos!
__Oi, Vinícius - Carlos fechou a cara e Camila percebeu a situação, achou muito estranho. Os dois se conheciam? Desde quando?
__O que você quer? Estou conversando não está vendo?
__Você o conhece, Camila? Da onde? - Vinícius ignorou o rapaz.
__A gente malhava juntos.
__Aonde?
__Por que você quer saber? - Camila rebateu indignada. Ela se lembrava muito bem que Vinícius era possessivo e aquela discussão chamou atenção de Júlio que estava do outro lado da mesa falando com uma amiga.
__Ei, ei, Vini, Carlos, nada de fazer isso aqui, né - Júlio abriu os braços
__Tá certo - Vinícius deu de ombros e Camila ficou o olhando. Isso por que eles nem eram namorados, ainda, mas lembra muito bem o quanto sofreu por causa disso. De repente a raiva que sentia dele, retornou.
__Cara chato - Carlos comentou com Júlio e Vinícius escutou, voltando com tudo para cima de Carlos.
__Como é? - Nesse momento Vinícius correu até Carlos para lhe dar um soco, mas nessa hora Júlio se meteu na frente e empurrou o amigo para não fazer isso e na confusão toda, Camila que estava próxima acabou caindo por cima de Carlos dando um beijo nele. Todos que estavam na festa olharam a cena e Camila se afastou totalmente corada de cima do rapaz. Carlos ficou mudo e sem graça pela situação. Vinícius olhava totalmente sem ação e Júlio se controlava para não dar um soco em Carlos.
Por fim que todos emudeceram e a única coisa que se escutava era o "It's my life" da música do Bon Jovi tocando ao fundo.

Dorama: Good morning call



Vooooltei, meus amores e trago mais um dorama para a nossa listinha xD  Vamos nessa:

Título: グッドモーニング・コール - Good morning call
Ano: 2016
Tipo: J - Drama
Diretor: Netflix, Fuji television
Episódios: 17

Sinopse

Nao Yoshikawa (Haruka Fukuhara) é uma menina doce e atrapalhada, porém se recusa a ir morar com os pais na fazenda. Então seus pais concordaram dela ir morar sozinha para poder finalizar seus estudos. No colégio, Nao tem sua melhor amiga Marina (Moe Arai) e Yuichi (Shugo Nagashima) e costumam ser um grupinho no colégio. Marina morre de amores por Hisashi Uehara (Shun'ya Shiraishi) e Nao não entende o por que disso, apesar de Uehara ser o garoto mais popular do colégio, ele é frio e não dá muito ibope para nenhuma menina.


Quando Nao foi ver seu novo apartamento, ela tem uma surpresa. Ela encontra Uehara e os dois começam a discutir dizendo que ambos moram lá. Mostrando os contratos, os dois decidem ir até a corretora que alugou o apartamento e a mesma se encontrava fechada. Depois de um tempo, perceberam que foram vítima de um golpe e resolvem entrar em contato com o dono do apartamento. A velha, dona do apartamento, diz que um deles pode alugar, mas que o valor seria o dobro do mencionado no contrato. Nao e Uehara não tendo tanto dinheiro para o aluguel e também não tendo para onde ir, decidem morar juntos, mas com várias regras e apenas como colegas. 
Nao se sente aterrorizada por ter que dividir a casa com o garoto mais popular da escola, já que sabe que será vítima de bullying por causa dele e fica ainda mais pelo fato de não poder contar para Marina (já que uma das regras era não contar sobre o ocorrido).


Com o tempo, os dois acabam desenvolvendo sentimentos pelo outro. Mas os dois ainda precisam amadurecer o amor, já que Nao é romântica e Uehara é muito frio. Ainda mais por que aparecem dois que são apaixonados pela Nao, que é o Daichi (Dori Sakurada) amigo de infância e Issei (Kentaro Sakagushi) e o Uehara fica com ciúmes e acaba sendo grosso com ela.


É um dorama baseado em uma mangá de mesmo nome de 1997. Eu indico apesar da história ser um clichê. É muito engraçado e muito legal como a história é contada. Principalmente por que a personagem, apesar de bobinha, não fica correndo atrás do rapaz, ela tem o próprio mundo dela e também é bem forte e persistente. Até por que ela morre de medo de ir morar com os pais a fazenda. Eu achei bem maneiro. Dizem que tem 2º temporada e que seria lançada esse ano, mas até agora não vi nada a respeito, então não sei se é verdade ou não. Mas, eu irei acompanhar... Se você quiser ver este dorama, ele está disponível no netflix.

A propósito, não coma meu pudim de leite! kkkkkkkkk

A música tema do dorama




Gostou da postagem? Então comente aqui embaixo o que achou deste dorama e se você já tinha o visto. Está aguardando a segunda temporada assim como eu? kkkkkkkkkkk Não esquece de curtir a página do mundo ali ao lado e se inscrever no youtube! xD em breve eu postarei mais vídeos, a câmera do note voltou a funcionar kkkkkkkk Beijos galaxicos