sábado, 24 de maio de 2014

Ajudar ou não ajudar? Eis a questão...

Boa tarde, queridos caóticos! Hoje o dia está ensolarado, porém agradável, como no sul... As vezes, clima assim me traz recordações da minha antiga cidade e a nostalgia toma conta. Bem, venho aqui falar sobre "ajuda" - quando devo ou não ajudar alguém?


Todo mundo já deve ter passado por uma situação sufocante, na qual você olha para os lados e não vê ninguém para te socorrer, para desabafar ou até mesmo chorar. E quando o que ocorre, é o contrário? Quando você tem alguém para te socorrer, para desabafar ou chorar?
Você conversa ou tenta guardar para si?
Algumas pessoas, não conseguem se expressar ou simplesmente não querem falar no assunto por que está com preguiça de ficar se explicando ou simplesmente quer fazer drama. Por que isso, Polly? Por que normalmente, quem sofre, tem tendência a aumentar as coisas e querer que as pessoas sintam pena de você e te bajulem (não que isso seja errado, todos merecem atenção em momentos difíceis) mesmo que isso seja feito inconscientemente. Bem, sendo assim, a pessoa se torna depressiva e começa a falar de um jeito estranho com você, fala curto, não está nem aí ou simplesmente prefere ficar sozinho e aí que vem a questão, quando eu devo ou não ajudar alguém? - Quando a pessoa quer ser ajudada, quando ela chega para você e te fala o que está acontecendo com ela, tem gente que não consegue fazer isso, então basta uma insistida que você consegue destravar a pessoa e assim, você consegue ajudá-la de alguma forma. Mudar de assunto, jogar o problema para debaixo da escada, não vai adiantar, sabe por que? Por que ele, simplesmente, não deixará de existir, cedo ou tarde, ele baterá em sua porta para te perturbar novamente. Então, é melhor resolver logo.
Tudo bem, e quando eu não devo ajudar alguém ou interferir? Quando a pessoa começa a falar com você tipo tanto faz ou tanto fez, você insiste e ela continua sem querer te falar sobre as coisas. Você tentar fazer a pessoa rir e ela não está nem aí e te diz que prefere ficar sozinha.... Então, é hora de sair de cena, parceiro! Por que se você não está agradando, então não adianta insistir, que não vai ser depois que você irá agradar, se a pessoa não cooperar com você.
As vezes, muitos colegas meus e familiares, me consideram uma pessoa fria. Não é questão disso. Eu estou aqui para qualquer emergência, eu vou ajudar e vou até o fim por alguém que eu ame, se precisar... Eu só não costumo ficar em cima da pessoa o tempo todo se a minha presença não é agradável a ela naquele momento, bem, não estou sendo fria, estou sendo racional. A pessoa está mal, eu vou ficar lá perturbando a vida dela, para a criatura sair do "estou mal" para o "estou estressado"? Não... Prefiro deixar o indivíduo sozinho, eu apenas estarei aqui, se caso precisem de mim. 

Se me chamarem, eu vou. Eu também posso ir sem aviso prévio, se caso eu puder.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

90 anos...

Eu tive que ficar bem para poder postar algo, bem para dizer o quanto você fará falta. Você tinha 90 anos, 90 anos de história, suor, experiências. Como eu ia imaginar que aquele era o seu adeus?
Eu devia ter ido em todas as vezes que me chamaram para ir em sua casa, como eu pude ser egoísta... Eu gostava tanto de você. Sei que nós não entendemos os planos de Deus, mas sei que ele tinha o melhor para você... Sei que você está em um lugar perfeito e sem dor. Sei que está com a vovó. Desde que você partiu, não tem feito sol, mas eu ainda estarei esperando o seu olá, o seu está tudo bem...

"Não sei por que você se foi, quantas saudades eu senti e de tristezas vou viver e aquele adeus não pude dar... Você marcou na minha vida viveu, morreu na minha história. Chego a ter medo do futuro e da solidão que em minha porta bate... E eu ... Gostava tanto de você, gostava tanto de você."



Seu sorriso estará dentro do meu coração, para sempre... Vovô! ♥