quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Dentro de mim - T01 E05 - O clone


Tinham se passado apenas alguns segundos quando Caio a viu sair do banheiro. Aqueles segundos pareciam 30 minutos. Os dois se encaravam e o rapaz sentiu o peito apertar e o oxigênio sumir. Se não fosse por ela, que tinha corrido ao seu encontro, ele teria rolado escada abaixo.

__Menino, tu estais bem? - Ela o abanava com a mão, enquanto chamava alguns rapazes próximos para ajudá-la a carregá-lo. Caio desmaiou ali mesmo, o choque foi tão grande que seu rosto antes vívido e cheio de energia para recomeçar, acabou ficando pálido, quase como no dia em que sofreu o acidente.
__Ana! - Ele sussurrava incansavelmente.
__Não, Karine! - Ela o olhava desconfiada enquanto o levava para a enfermaria do campus.

Caio estava deitado em uma maca, despertou como se estivesse tendo um pesadelo. Deu de cara com Duarte. Um enfermeiro que ele conheceu, quando ainda estudava.

__Quem diria que iríamos nos encontrar aqui, né parceiro? - Ele sentou próximo da maca.
__Não me diga que me trouxeram para o pior açougueiro do campus - Os dois deram risadas, enquanto Caio tentava se sentar. Meio fraco.
__Tu teve uma queda de pressão. Tu comeu alguma coisa?
__Não, vim direto pra cá. Só que... - Ele ficou em silêncio por um breve momento - Tu vistes quem me trouxe aqui?
__Ahh isso, foi os garotos de Educação física. Veio carregado pelos bombadinhos - Duarte fez biquinho enquanto ria do rapaz.
__Muito engraçado. Me referi a uma guria de cabelos negros.
__Não vi. Só tinha 3 machos - Continuou brincando.
__Alguém parecida com a Ana - Caio olhou no fundo dos olhos do colega e o mesmo ficou sério. Desviou o olhar e tentou achar palavras para tentar confortar o rapaz.
__Já faz 1 ano que ela se foi, Caio. Tu tens certeza que está bem para voltar? O campus está repleto de memórias com ela. Isso começou a te afetar.
__Eu sei o que eu vi. Não estou enlouquecendo - Caio apontou para o braço, para que o enfermeiro tirasse ele do soro - Eu já estou bem. Vou comer alguma coisa.

Ele saiu da enfermaria e foi direto para a lanchonete, já tinha perdido metade da primeira aula, então não fazia questão de aparecer na sala interrompendo o professor. Foi comer primeiro. Chegou no balcão e pediu um completo. Pagou. Puxou uma cadeira e sentou de frente para o lago que ficava a beira do campus. O rádio tocava músicas com gêneros aleatórios naquela horário, mas naquele momento tão perturbador, uma música com início de strings e um piano tão solitário o fizeram lembrar de Ana e todos os momentos que apostavam corrida ao longo do lago e no final, se abraçavam. Quando o canto começou, Caio se debruçou e começou a chorar, sim, a música que estava tocando era a música deles dois. A música que marcou o primeiro beijo deles, na árvore do antigo colégio, "Aonde quer que você vá, o que quer que você faça. Estarei bem aqui esperando por você", ele sempre mantinha isso como mantra quando brigavam, sempre estaria esperando, mas agora, 1 ano se passou e ele não poderia mais esperar. Sentiu alguém cutucar seus ombros.

__Caio? - Ele levantou a cabeça e tentou segurar as lágrimas. Não queria mostrar para quem quer que fosse. Infelizmente, não poderia esconder de Rita.
__Oi, Rita - Ele falou baixinho e com a voz trêmula, enxugou as lágrimas na manga da blusa. Rita deu um abraço no rapaz, sentiu o peso da dor dele. Ficaram assim por alguns minutos. Cristiano, "Seboso" viu a cena e se aproximou. Não tinha ciúmes, muito menos se incomodava com a intimidade entre Caio e Rita, afinal, a namorada já havia contado toda a história e Cristiano sempre se lamentou muito por Caio e a triste história, sabia que o rapaz precisava de amigos por perto e por isso se aproximou mais dele para poder ajudar também. Seboso sabia como era a dor da perda, já que perdeu sua irmã mais velha em um acidente, também, há 8 anos.
Cristiano e Rita estavam com horário vago e se sentaram com Caio, conversaram um pouco e o mesmo falou do desmaio, sem mencionar a moça igual a Ana, porém as coisas iam se encaixando a medida que a conversa ia fluindo.

__Mesmo que 1 ano pareça muito tempo, ainda é uma perda muito recente - Disse Cristiano.
__Eu sei que sim, mas a vida continua e eu tenho que seguir em frente.
__Amigo, ninguém é obrigado a ser forte o tempo inteiro. Quando quiser chorar, chore. Quando quiser alguém para chorar, sabe que podes chamar a mim e ao Seboso ou o Miguel.
__Eu sei e obrigado - Caio sorriu e deu um último gole no suco que havia comprado.
__Tem algo que eu preciso te falar. Eu ia na sua casa, hoje, mas fico feliz em saber que tu voltastes para a faculdade - Rita beliscava os mini salgadinhos na mesa.
__Tipo o que? - Caio ficou sério. Rita e Cristiano se entre olharam meio receosos.
__Achei melhor te contar, antes que tu visses por si mesmo e tenha um troço. Tem uma garota aqui no campus que é igual a Ana! - Rita encarou Caio e se surpreendeu com a reação do amigo. Por outro lado, ele apresentou calma e parecia pensar. Realmente, isso era sinal de que ele não estava doido.
__Eu sei.
__Tu já a viu? - Rita aproximou a cadeira do amigo, como se fosse uma grande fofoca.
__Lembra do desmaio? Isso aconteceu por que eu a vi saindo do banheiro. Eu juro que achei que fosse o espírito da Ana. Eu meio que apaguei de repente. Era igual a ela - Caio fez uma careta.
__Tá, pelas fotos, não é tão parecida assim. A Ana tinha o cabelo cacheado e essa aparentemente tem o cabelo liso - Cristiano lembrou da foto de celular da namorada.
__Mesmo assim, não dá para negar que as duas parecem gêmeas - Rita cruzou os braços.
__Como tu a viu? - Caio ficou curioso.
__Eu estava indo atrás do professor Gabriel quando a vi sair do banheiro. Se ela fosse loira, eu ia morrer do coração - Os dois riram da piada, quando ela continuou - Eu fiquei paralisada. Achei realmente que fosse a Ana de chapinha, não sei, apenas fiquei olhando para ela. Eu senti uma tristeza tão grande. Sei que o campus é grande e que muita gente não conhecia a Ana, mas algumas pessoas já devem ter notado ou pelo menos se assustado achando que era um espírito.
__Tu sabe que curso ela é? - Caio abaixou a cabeça pensativo.
__Não sei, amigo. Mas podemos descobrir, por que eu estou tão abismada quanto tu e o Cristiano. Não sei explicar, eu apenas estou chocada.
__Agora que tu me disse isso, fiquei pensando. Não estou doido, então ela realmente existe.
__Tem mais uma coisa... - Cristiano bocejou e levantou a sobrancelha preocupado.
__O que?
__Lembra do Leonardo? Ele tem frequentado muito a casa dos pais da Ana - Rita desviou o olhar e Caio ficou pensando nisso. Como assim? Que tipo de relação ele tem com os pais da ex namorada?

Aquela fofoca de Rita, estava martelando em sua mente, realmente, depois do falecimento da namorada, Caio nunca mais apareceu na casa dos ex sogros. Falava quando encontrava nas ruas ou nos mesmos lugares que frequentam, mas para um visita mesmo, nunca mais foi. Talvez a situação não fosse ainda boa para aparecer por lá. Mas o que Leonardo queria? A aula tinha acabado e Caio foi guardar os cadernos, o relógio marcava 12:30 quando viu um papel dentro da mochila e lembrou que tinha caído das coisas de Leonardo mais cedo. O pegou e abriu. Dentro do papel havia um outro dobrado na cor rosa que dizia:

"Caio, não liga para a minha letra, nunca foi bonita mesmo. Sou tímida demais para te dizer que gosto muito de ti. Do teu sorriso e do modo como trata as professoras. Queria que tu me visse por que parece que sou invisível aos teus olhos. Acho que tu gosta da Clarinda, só que se tu gostar de mim também, eu te juro que te faço feliz todos os dias. 

Com amor, Ana!
23/05/2002"

Caio engoliu seco, que espécie de carta era aquela? Uma carta que foi escrito há mais de 10 anos?

TEMA DE ENCERRAMENTO - CROWDED HOUSE - DON'T DREAM IT'S OVER

Um pouco de música

Essas músicas têm um significado especial em minha vida. Então gostaria de compartilhá-las com vocês.


Lembro dessa música quando toquei pela primeira vez na banda da igreja e foi algo que me marcou muito. Pois era algo que eu acreditava que estava destinada a fazer.


Quando descobri que meu pai estava doente, eu era muito nova e foi muito difícil continuar minha vida, por que eu achava que ele iria me deixar a qualquer momento e era algo que eu não conseguia aceitar. Até que encontrei esta música e me enchi de esperança. Hoje, graças a Deus está tudo bem e que continue assim sempre.


Eu participava de um grupo de jovens, quando era mais nova, eu fui uma das fundadoras e durante todo tempo que morei em São Gonçalo, fiz muitas coisas boas e legais pelo grupo. Essa música eu costumava cantar e tocar por lá, então a lembrança que essa música me traz é muito forte. Ainda mais que no CD que o grupo gravou para minha despedida, ela está como abertura.


Depois de muito tempo empacada no meu livro, eu desmotivei e decidi excluí-lo para sempre. Então em uma missa que eu fui tocar por acaso, eu tive que escutar e tocar esta música em cima da hora. No início eu fiquei com medo, por que é complicado tocar uma música que você não conhece. Só sei que depois que eu terminei, eu senti uma onda de emoção e criatividade que escrevi 4 capítulos novos do meu livro. Parei por que infelizmente estou muito ocupada com os trabalhos acadêmicos.


Eu escutei essa música por acidente, quando eu estava estudando para o vestibular e me sentindo muito desmotivada. 

6 - Música extra: Voz da verdade - Sou um milagre

Essa música define minha vida inteira. Eu chamo ela de mantra kkkk...


segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Magrelice: Nos galhos secos de uma árvore qualquer...


A vida é uma longa estrada com vários desvios. As vezes a gente desvia para o caminho errado, mas com ajuda, conseguimos voltar para a estrada principal. As vezes desviamos por que queremos fugir de algum buraco que insiste em nos seguir e deixar nossas rodas desgastadas para ficarmos cansados de prosseguir.
A gente se desvia tanto, que acabamos nos perdendo em curvas sem fim. Sozinhos. Sem nenhuma pessoa para ajudar. A solidão e a tristeza nem sempre são ruins, precisamos delas para pôr a mente no lugar, por que a solidão costuma trazer maturidade e a tristeza, realidade. Duas coisas que só adquirimos quando olhamos para dentro de nós e descobrimos nossas fraquezas e erros. As duas seguram suas mãos e te guiam até a estrada principal, novamente e te deixam seguir em frente, para que você possa estar bem o suficiente para encontrar a felicidade. Para que você possa pular ou tapar os buracos que te fazem mal.
O problema é quando você não quer largar as companheiras, quando você se apega a tristeza e a solidão. As pessoas chamam de depressão. Pois o caminho que a pessoa segue, fica cada vez mais escuro. É nessa hora que devemos dar o grito de socorro. Para que alguém possa vir nos resgatar e trazer um pouco de luz.
Eu passei tanto tempo da minha vida ligando para o que os outros pensavam que esqueci dos meus pensamentos. O que eu queria, o que eu fazia e o por que eu estava tão para trás, deixando que as pessoas e o externo tivessem controle sobre minha vida. Eu dei meu grito e estou esperando alguém vir me resgatar. Eu preciso voltar para meu caminho e seguir em frente. Deixar a tristeza e a solidão e buscar a felicidade. Foi tão difícil chegar aqui que me acomodei, porém é hora de voltar.
Sei que haverão dias que eu não estarei bem, que os buracos vão me derrubar, o segredo é sempre olhar para o céu e enxergar as nuvens passando. Eu ainda estou respirando e o tempo não espera por ninguém.


Uma música, uma história



Gostou da postagem? Então comente aqui se já se sentiu um pouco inseguro quanto a qualquer coisa em sua vida e se você conhece alguém que passa ou passou por isso. Não esquece de curtir a página do mundo ali ao lado ---------------------->
Beijos galaxicos!

Endoscopia nasal + Vídeo laringoscopia

Quem nunca teve medo de fazer uma endoscopia digestiva que atire a primeira pedra. Nada mais bizarro que imaginar um cano do tamanho do seu dedo sendo colocado em seu humilde esôfago. Só que isso é feito com você apagado ou em estado alucinógeno (tipo eu que vi gnomos na segunda vez que fiz o exame) enfim, quando acorda, tudo já acabou, exceto o sono.
Agora imagina o chilique que é, quando te enfiam um cano pelo nariz? Sim, essa é a endoscopia nasal.
É rotina para eu fazer este exame, pois devido ao meu histórico de proezas nasais, não tem como fugir, mas por incrível que pareça, eu ainda não postei sobre ele por aqui. Então como fiz um recentemente, daí resolvi relatar como foi, para todos aqueles que nunca o fizeram.
Esse exame serve para identificar problemas como: Pólipos nasais, adenoides, rinites, problemas anatômicos e afins... Basicamente é feito com um endoscópio flexível bem fino e anestesia tópica. 


Antes do médico começar, ele espirra um spray nasal e deixa a anestesia fazer efeito. Geralmente esse anestésico tem cheiro de flor e você tem a sensação de que seu nariz está gelado por dentro. Cada médico tem um jeito de fazer o exame. Então estou relatando como foi para mim, dado que na primeira vez que fiz o exame (por volta dos 8 anos) além do spray nasal, me aplicaram um spray na garganta também.
Depois ele começa a introduzir o aparelho, você não sente dor, apenas sente o endoscópio entrando. A medida que ele vai entrando mais, você começa a sentir uma ardência e uma sensação de pressão. Isso faz com que seus olhos lacrimejem um pouco, mas nada intolerável e é questão de segundos. Tem pessoas que não suportam muito, devido a alta sensibilidade no nariz, mas prender a respiração o máximo que puder, ajuda a aliviar os sintomas (é claro que tem que respirar pela boca, né). O otorrino pode pedir para você falar algumas coisas também, emitir sons.
Se você tiver algum problema nasal, é provável que tenha desconforto.
Eu tinha desvio de septo grau máximo, então toda vez que fazia esse exame, eu tinha um pouco de dor, por que o endoscópio não passava com facilidade em uma das narinas.
Depois de uns 10 a 15 minutos, o exame está feito e você sai tranquilo e sem sintomas nenhum, exceto o nariz escorrendo um pouco.



Agora a vídeo laringoscopia é um outro procedimento que ajuda averiguar problemas na laringe, cordas vocais e afins. Geralmente eu faço esse para acompanhar o refluxo.
A maioria dos centro de otorrino que fazem esse exame, costumam fazer junto com a endoscopia nasal. Como assim? Quando eles estão colocando o cano pelo nariz, eles vão enfiando até chegar na garganta e fazem as duas coisas em um procedimento único. Muita gente prefere assim e sente menos desconforto, mas eu digo, não é nada legal fazer os dois em um. Eu fiz uma vez e foi bizarro, sai da sala de exame espirrando muito e com um nariz em forma de torneira. Então eu sempre faço os dois separados, se seu médico tem o aparelho, peça para fazer separado.
Ele também é simples e não traz sintoma e nem dor nenhuma, apenas ânsia de vômito se caso o otorrino encostar o laringoscópio na úvula, o que é difícil.
Basicamente ele esfrega o aparelho nas bochechas e na língua para que a sua boca não fique com gosto de metal. Depois segura sua língua para fora com uma gaze e coloca o aparelho até a entrada da garganta (final da língua) e lá ele vai te mandar repetir algumas sílabas e fazer um teste tonal. O exame é rápido e é muito melhor fazer ele separado.



Se vai fazer esses dois exames, não se preocupe e confie no seu médico. Não trazem grandes desconfortos e nem dor intolerável. Fique bem calmo (a) que é menos de 20 minutos cada um e será de grande auxílio para descobrir possíveis problemas. Boa sorte! 


Gostou da postagem? Então comente aqui embaixo se você já fez esse exame ou se irá fazer. Não esquece de curtir a página do mundo ali ao lado ------------->
Beijos galaxicos!


sábado, 23 de setembro de 2017

Papo de filhos: Sua mãe sabe mais

Não importa o quão egocêntricos, individualistas ou metidos a saber tudo, nós somos. Nossa mãe sabe mais.
A começar pelo básico, sua mãe pode não ser formada em nenhuma área da saúde ou nem saber como jogar búzios, mas ela é formada em você e isso já conta muita coisa. Quer um exemplo? Minha mãe é formada em Pollyanne e ser formada em mim é o mesmo que estudar bacharel em física, pura doidice (Não é nada pessoal, físicos, meu sonho é ser astrônoma).
Sua mãe pode ter te concebido de três formas: Por parto normal ou por cesária ou simplesmente por amor*. Em qualquer uma das situações, ela conviveu com você antes mesmo de você pensar "Eu sou gente", então não dá para você saber sobre si mesmo, coisas que só ela viveu. Nós não temos maturidade quando somos bebês ou crianças, então em todos esses anos, nossas mães foram "estudando" a gente, acertando e reprovando nas provas da vida e fazendo um esforço tremendo para passar de ano. Essas experiências que a maternidade traz, leva ao título de que nossas mães sabem mais. Algumas podem até não saber mexer naquele celular de última geração, outras pedem ajuda para postar foto nas redes sociais, só que quando estamos doentes, a gente teima com elas que xarope y é melhor que o velho limão com mel e alho e no fim das contas, não é que o remédio caseiro dela funciona mesmo?


Tive a ideia de escrever essa postagem, por causa de uma situação aqui em casa. Devido a recaída do pânico, eu comecei a perder um pouco do apetite e não estava me alimentando direito. Resultado: Comecei a emagrecer e o emagrecimento levou a baixa estima e a baixa estima me fez perder o apetite mais ainda, virando uma bola de neve. Fui no hospital, fiz exames e deu absolutamente tudo normal. Até que minha mãe resolveu comprar uma vitamina "abridora" de apetite (Apevitin) dizendo ela que eu já havia tomado quando era mais nova. Eu não lembrava, óbvio, mas teimei dizendo que não tinha tomado e que eu deveria ir primeiro ao hospital. 
Minha mãe sabe que devido ao pânico, eu desenvolvi hipocondria e eu tomar remédio é um martírio. No fim das contas, ela disse que eu tomei quando tinha 10 anos e que ele dava muito sono apenas e deixava o corpo meio mole. Resolvi tomar e graças a Deus me senti bem e estou comendo melhor.
Então, se você um dia teimar com sua mãe a respeito de algo na vida, pare, pense e reflita. Elas podem falhar? Sim, mas aviso de mãe nunca falha. Com a minha idade, a minha deve estar no mestrado já... Que vergonha... Tamanho uma velha.

"O amor foi uma obra que os anjos, acidentalmente, deixaram cair aqui na terra e Deus, ao perceber a situação, criou as mães. Guardiãs do sentimento."


*Ser concebido por amor é um termo que eu uso para identificar pessoas que foram adotadas, ou seja, não nasceu do ventre da mãe, mas nasceu do coração.


Gostou da postagem? Então comente aqui embaixo se você já viveu uma situação parecida ou se você que é mãe, conhece seus filhos e aprende com eles! Não esquece de curtir a página ali ao lado ------------> Beijos galaxicos!












domingo, 17 de setembro de 2017

Bate papo e um fim de tarde

Depois de passar a manhã inteira pesquisando dados para o meu TCC, resolvi relaxar e ver vídeos de audições que eu gosto muito de ver. Descobri uma música em uma dessas apresentações, acho que algumas pessoas já devem conhecê-la, mas eu não a conhecia e gostei muito.

Jackson Five - Who's loving you


Depois de escutá-la, resolvi escrever este post sentada na varanda, observando o pôr do sol. Algo que vinha pensando nesses últimos dias. Então vamos bater um papo sobre amor?
O que é o amor para você?
Essa não é uma pergunta fácil de responder, não é? Bem, para mim nunca foi. Mas posso começar por uma frase dessa música:

"I, I, I, I should have never ever, ever made you cry"
"Eu, eu, eu, eu não deveria jamais ter feito você chorar"

O amor não é uma faca afiada que por um descuido, te corta e te faz chorar. O amor são questões que você deve responder todos os dias, para dar continuidade a este sentimento. Se o amor não for contínuo, então não vale a pena procurar por um significado.
Preencher um coração vazio é uma tarefa bem difícil. Nunca se sabe quando o que você oferece transbordará ou quando não é o suficiente. Por isso temos que ir respondendo as questões para aprendermos a interpretá-lo. 

"When I had you I treated you bad and wrong my dear"
"Quando eu tive você, eu te tratei mal e errado, minha querida"

Todas as formas de carinho são bem aceitas, quando são dadas de espontânea vontade. Pedir amor de outra pessoa é o mesmo que pedir esmola. As pessoas só te dão, por que sentem pena. Isso nunca será amor e nunca será uma questão respondida para dar significado a este sentimento.
Não estar presente, ser frio (a) ou não dar carinho é uma forma de tratar mal. Ninguém pode aguentar ou ficar preso em uma situação assim, por uma motivo, seja ele qual for. 
Amar não é simplesmente estar ou ficar junto, é mais simbólico que isso. Amar, ao meu ver, é enxergar como o outro. Se você se colocar no lugar da pessoa amada, entenderá como ela vê o mundo e consequentemente, a entenderá.
O sentimentos são como uma montanha russa, começa com a expectativa, sobe, sobe e chega ao topo, o clímax. Em seguida vem a descida, os baixos, a gente grita de medo ou grita por arrependimento. Depois tudo se acerta e depois cai novamente, até o fim, onde vemos se a relação realmente é forte o suficiente para superar todo o percurso.

"Life without love is oh so lonely"
"A vida sem amor é tão solitária"

Sim... Sempre será. Mas sempre hão de ter novas formas de amar.




sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Por que eu não gosto do Rio de Janeiro

Me desculpem, cariocas, sei que nem todo mundo é assim, por isso já deixo claro que começo esse textos sem generalizações.
Se você ler e não se identificar, ótimo. Você não está no grupo do "Por que eu não gosto do Rio de Janeiro" agora se você se vê no texto, já não posso fazer nada.
A começar pelo começo, óbvio, eu morei por 6 longos anos na cidade de São Gonçalo e já fui muitas vezes passear lá pela capital. E o que eu queria saber, é por que diabos o pessoal de lá tem tanta mania de dizer que aqui só tem mato ou só tem paraibano (O que vale lembrar que Paraibano é que nasce na Paraíba e que esse estado fica no nordeste do país, ou seja, se eu moro no Pará, eu sou paraense e nortista, "capiche"?) continuando, não tem explicação lógica para isso, por que a mídia contribuí para formar uma imagem distorcida da parte de cima do Brasil, mas a mídia não te ensina que o Amazonense é nortista. Isso quem ensina é a geografia. Então, meu querido (a) você não teve aula? Ou só é mais um ignorante esdrúxulo da civilização humana?
O que mais me irrita é o pessoal me perguntando se aqui onde eu moro existe shopping ou ônibus, de certo que os coletivos não são os melhores meios de transporte por aqui, mas sim, existe.
Eu sei que vive os piores momentos da minha vida, quando eu morava lá, mas não isso que me fez não curtir muito a cidade.
Outra coisa também é o fato de algumas pessoas serem muito egocêntricas ou patriotas, sei lá o nome que se dá para esse fenômeno, só sei que ficar exaltando uma cidade é coisa de gente que não tem o que fazer. Você dizer que o Rio é bonito, é perfeitamente normal, de fato, o Rio de Janeiro é um estado muito bonito. Agora ficar postando foto a todo momento do pôr do sol, todos os dias e dizer "O Rio continua lindo" por favor, dá para parar? Que coisa mais sem noção. Daí vai você dizer que não acha aquilo extraordinário que a pessoa só falta te dar uma facada. Depois vem dizer na maior cara de pau que você tem que respeitar o gosto alheio. Agora eu pergunto, e o seu gosto? A pessoa respeitou? Gente, é só um comentário e não um depoimento diante de um juiz para ter uma sentença assim. Francamente...
E por último, mas não menos importante. O sotaque carioca não é o mais bonito do Brasil. Todos são bonitos.


Se você é carioca e discordou do meu texto, que eu sei que vai discordar. Então quando alguém te disser que aqui no norte só tem mato ou que todo mundo aqui é nordestino. Lembre-se de mim.
Não é nada pessoal, é só uma questão de honra paraense, até por que, minha melhor amiga é carioca e ela não se encaixa nesse grupo.
Beijos galaxicos!