segunda-feira, 4 de agosto de 2014

"Não bem vindo"

Boa tarde, queridos caotinhos, hoje a postagem será sobre exclusão. Seja ela escolar ou familiar.
Eu fui um bebe gerado de forma especial e trago junto de mim, uma constante preocupação em ser aceita entre os outros e principalmente não errar com ninguém, de forma alguma. Ao longo da minha vida, me deparei com as mais variadas exclusões, detalhadamente no âmbito escolar.
Eu não era uma menina bem menina, não gostava de batom, maquiagem, usar roupas femininas e muito menos fui vaidosa. Essas minhas características começaram a pesar um pouco, por que algumas meninas começaram a me ignorar pelo fato de eu não compartilhar dos mesmos interesses e também comecei a sofrer "bullying". Foi aí que comecei a ter problemas na área social, já que o "Diferente" em relação ao padrão da sociedade, não se encaixa e é excluso do meio... A partir daí, tive problema psicológicos também, que não preciso ressaltar aqui.
Minha relação com minha mãe naquela época também não era uma das melhores e eu insistia em dizer que ela só dava atenção aos meus irmãos, naquele tempo, eu não compreendia bem que no fundo, ela se preocupava sim, só não tinha tanto cuidado comigo, por que ela sempre soube que eu era forte o suficiente e que se um dia eu precisasse dela, ela estaria de braços abertos, ao contrário dos meus irmãos, que sempre estavam a aprontar alguma coisa e precisavam da atenção dela constantemente. É claro que, nossas mães, as vezes, se perdem tanto querendo proteger uns, que acabam esquecendo dos outros e foi assim que aconteceu comigo. Eu sempre precisei do carinho dela, não de ajuda, de carinho. Queria que ela estivesse todo tempo comigo, rindo comigo e compartilhando dos meus medos e amores. O que de fato, nunca aconteceu. Conclusão: Me tornei uma pessoa totalmente fechada, mas ao mesmo tempo afetuosa, desde que ninguém interferisse nos meus sentimentos.
E todo esse emaranhado de medos e incertezas, cultivei dentro de mim, um medo muito grande de reclusão. Se alguém me excluí de algo, eu fico muito chateada mesmo e me isolo. Se eu gostar de pessoa, ela vai saber. Um dia. Mas saberá o por que eu me afastei dela.
Tenho certeza, caro leitor, que você já deve ter se sentido desse jeito ou está sentindo "não bem vindo" em algum lugar. Meu conselho, é que não fique chateado (sei que é difícil, até para mim é complicado, já que eu estou aprendendo a seguir em frente) sabe por que? Por que pessoas que fazem isso, não merecem ter você ao lado, já que quem não está nem aí para a sua companhia, também não a merece.
Esse post foi inspirado em uma situação que eu vive nesse fim de semana, já que a decepção veio de quem eu não esperava. Bem, mas isso só me fez pensar em algumas coisas, no quesito de dar valor a quem realmente tem valor. Não vou dizer que estou bem, por que eu ainda estou mastigando dentro de mim... Mas vai passar.


Lembre-se sempre, há um Deus lá em cima que olha por você e não importa quais são seus problemas, existem pessoas que o representam aqui na terra e a música que eu deixo, mostra quem são essas pessoas.





Gostou da postagem? Então não esqueça de deixar seu comentário aqui ou na caixa velha azul de guerra; Não esqueça de seguir o blog... Beijos galáxicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da postagem? Então comenta... :D
Agradeço...
beijos galáxicos!