sábado, 16 de novembro de 2013

Oceano




Eu nunca me perguntei se eu realmente gostava de você, mas, sempre havia algo lá no fundo que me fazia desacreditar no amor que eu sentia. Achava que era passageiro, algo de momento...Será que eu estava mesmo gostando? Será que as minhas cartas e minhas palavras de amor eram por que eu nunca tinha experimentado, antes, esse sentimento?
Então veio as brigas, os perdões, os desentendimentos e mais desculpas. O tempo passou e eu estou aqui escrevendo no meu blog novamente sobre você e com uma certeza. Eu amo você. Assim como na novela o 'cravo e a rosa' - Eu, a Catarina, comecei a me entregar realmente para o amor e você me fez mudar. Me fez crescer.
Quanto mais o tempo passa, mas me vejo solitária quando você vai embora - "fica" - é a primeira palavra que vem em meus pensamentos. O cheiro do seu perfume em minha blusa faz uma chama arder em meu coração. Como eu posso sentir tanto sentimento, quando a única coisa que posso pensar sobre isso, é em como eu cai nesse oceano.
Como eu posso amar tanto você? Não consigo me ver longe, longe dos seus carinhos... A ternura dos seus beijos e o encanto do seu olhar.
E foi assim de repente no meu coração, onde tudo começou. Antes uma confusão de idéias, sim, não, sim, não mesmo! Até que em um momento o sim permaneceu e tudo ficou claro e ao mesmo tempo mais confuso. Como deixá-lo ir embora toda vez que eu te ver, como não te abraçar, como não te beijar toda vez que eu te vejo? Como não te admirar?
Sinto o medo, de te perder, sondando minha mente, sinto ciúmes (por vezes não demonstro). Todas as músicas, todas as palavras, todos os toques estão tatuados em mim.
Em qualquer lugar estarei, em qualquer circunstância te amarei... Sempre! 


As vezes, escutando a música da Adele - someone like you. Eu choro. Por que não quero que a letra da música seja uma realidade em minha vida. Talvez eu não devesse te amar tanto... Mas eu não tenho mais o controle.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da postagem? Então comenta... :D
Agradeço...
beijos galáxicos!