segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Transtorno do pânico

Pânico?
Oh... Claro, eu tenho pânico! Eu não suporto tomar banho, tenho medo de água.
Já eu, tenho fobia de rato. Ver um já entro em pânico.
Barata, então? Uh... Não gosto nem de lembrar daquelas perninhas peludas.



Quem nunca se pegou falando que tem medo ou pânico de algo? E realmente, as pessoas tem pânico de alguma coisa ou de alguém, pois o mesmo é uma forma mais acentuada do medo. Pavor, medo, fobia, pânico... Sinônimos.
Mas quando o medo não é concreto? Um medo que aparece de repente e que muda sua cara antes feliz para um olhar cheio de medo e de dúvidas e de pensamentos negativos. Uma mistura de Freddy Krueger e Jason numa sexta feira 13.

O transtorno do pânico ou síndrome do pânico é uma psicopatia da classe dos transtornos de ansiedade. Nota-se nitidamente que ela é diferente das outras. Por que será né... kkkkkk
Então, de forma mais descontraída, uma pessoa pode ser ansiosa, afinal, ansiedade é um sentimento natural do ser humano. Qualquer pessoa pode sentir ansiedade. Você fez um exame de sangue, pode ficar ansioso por que quer saber se tem alguma coisa ou não. Você que esperar seu aniversário, pode ficar ansioso para saber se o amor da sua vida virá. Um passeio, o primeiro beijo... Coisas assim, nos deixam ansiosos, nos tiram noite de sono e principalmente, é uma ansiedade que passa.
Quando ela começa a ser patológica? Quando essa ansiedade aparece em momentos que não era para ela aparecer. Como aconteceu comigo, eu estava comendo meu hamburguer triplo egg bacon com calabresa e gordices com um maravilhoso suco de goiaba (mentira, era apenas um x burguer por que eu não posso comer essas porcarias deliciosas kkkkkkkk) enfim, estava rindo, sentada ao ar livre conversando com meu namorado. Não tinha como eu me sentir ansiosa ou medo de algum coisa, eu estava distraída, e o que me aconteceu? Eu passei mal no meio da rua. Meu coração parece que pulou boca a fora, minha cara parecia um ninho de formiga, minhas mãos formigando, meu rosto pálido. Agarrei no braço do meu namorado e não conseguia respirar, eu pensei "to morrendo" - Morrendo de vergonha né, por que naquele momento parece que todo mundo estava olhando para mim (o que não era verdade). Vergonha de passar mal? Pois é... Daí, meu bebe tentou me acalmar e eu na minha santa vontade de reverter aquela situação, fui me acalmando novamente e por fim... 10 minutos depois eu estava bem de novo, mas não bem totalmente, estava cansada, com sono e com medo de passar mal de novo.

E quando saber que eu tenho o transtorno?

Primeiramente, o pânico tem sintomas relativamente parecidos com os de outras, principalmente as cardiovasculares. O diagnóstico não é difícil, mas é bem complicado. A pessoa começa a ficar neurótica achando que tem isso, tem aquilo e procura o clínico e faz diversos exames. Faz exames de sangue, eco, eletrocardiograma, tomografia, raio x de todos os membros, ultrassom, ressonância, endoscopia nasal, digestiva, anal, ocular (brincadeira kkkkkkk) faz de tudo e não dá absolutamente nada. A pessoa começa a ficar mais ansiosa e nervosa por que não sabe o que acontece com ela. Procura até cartomante para adivinhar o que tem, faz eletroencefalograma, exame de diabetes, holter 24 horas, MAPA e nada parece acusar e você já está cansado de bater na sala de emergência achando que está tendo um derrame cerebral.
É, amigo, está na hora de ir no psicólogo. Mas você não precisa fazer tudo isso para descobrir que tem pânico, eu citei por que é o que normalmente acontece. Mas ao relatar os sintomas ao médico e ele estudar sua história clinica, é fácil chegar a conclusão. Não adianta fugir... Essa inhaca já está aí e você nem percebeu kkkkkkk.

E o que é realmente esse abacaxi? (Eu detesto abacaxi, nada pessoal, apenas um comentário inofensivo)


Ele é caracterizado por crises súbitas frequentemente incapacitantes e recorrentes. Os sintomas físicos de uma crise de pânico aparecem sem causas aparentes ou por meio de ansiedade excessiva motivada por estresse, perdas, aborrecimentos ou expectativas. Depois de ter uma crise de pânico a pessoa pode desenvolver medos irracionais, chamados fobias, dessas situações e começar a evitá-las. (Tive claustrofobia, acrofobia 'viajar de avião só com a graça de Deus, por que eu empaco na porta' a agorafobia e a nictofobia).
Os sintomas são como uma preparação do corpo para fuga de uma ameaça real (sistema simpático). A adrenalina provoca alterações fisiológicas que preparam o indivíduo para o enfrentamento desse perigo como:

  • Aumento da frequência cardíaca (com concentração do sangue na cabeça e membros);
  • Aumento da frequência respiratória (hiperventilação);
  • Ressecamento da boca; 
  • Sensação de falta de ar (ocasionada pela não estimulação dos nervos sensitivos intranasais);
  • Formigamentos ou dormências
  • Dores em tudo quanto é parte
  • Medo de perder o controle
  • Vertigens ou tonturas
  • Medo de morrer quando está passando mal
  • Calafrios ou suor firo
  • Tremores
  • Naúseas, vômitos e dores no estômago (minha gastrite não é do pânico, mas o meu refluxo era nervoso)
  • Engasgo (passei 2 dias sem dormir com medo de morrer engasgada)
  • Sensação de estar fora da realidade (durante um ataque, eu experimentei voar enquanto todo mundo me acodia)
  • Sentimento de indiferença (quando voce acha que todo mundo está te olhando, mas ninguém está nem aí para você)

Os ataques de pânico não podem ser previstos. Pelo menos nos estágios iniciais do transtorno, não há nada específico que desencadeie o ataque. Lembrar de um ataque anterior pode desencadear ataques de pânico. E como eles não tem aviso prévio, a pessoa evita um monte de lugares, eu passei 2 meses sem ir a igreja por que eu não conseguia entrar nela sem ter um ataque de pânico lá dentro. Hoje eu já entro e consigo ficar até o final da missa.

Como é tratado

Os medicamentos antidepressivos chamados inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRSs) são normalmente receitados para a síndrome do pânico. Eles incluem:
  • Fluoxetina (Prozac)
  • Sertralina (Zoloft)
  • Paroxetina (Paxil)
  • Outros ISRSs
Outros medicamentos que podem ser usados incluem:
  • Outros tipos de antidepressivos, como inibidores de recaptação da serotonina e norepinefrina (IRSNs)
  • Medicamentos anticonvulsivos, em casos graves
  • Benzodiazepinas, inclusive diazepam (Valium), alpralozam (Xanax), clonazepam (Klonopin) e lorazepam (Ativan), podem ser usados por um curto período.
  • Os inibidores da monoamina oxidase (IMAO) só são usados quando as outras drogas não funcionam, porém eles podem ter efeitos colaterais graves.
Eu não uso nenhum medicamento, eu faço apenas a psicoterapia e tento me controlar (mesmo isso sendo muito difícil) tomo suco de maracujá, chá de camomila, erva cidreira. Remédio naturais e que acalmam. Não tomo todo dia, mas tem me ajudado. Os médicos que podem te ajudar são os psicólogos ou os psiquiatras.

Frequentemente os paciente com pânico sofrem muito duas vezes, a primeira por causa dos ataques e suas consequências e a segundo por causa da incompreensão de que são vítimas. Muitas pessoas nos interrogam e nos criticam por causa das crises achando que são frescuras, que está na verdade precisando fazer alguma coisa para ocupar a mente... A primeira coisa que os parentes têm que fazer é compreender, aceitar e apoiar as pessoas que tem isso. O transtorno do pânico é uma doença real como outra qualquer, a criatura não escolheu tê-la, nem pode evitá-la. Então, se um dia você encontrar alguém que tenha, faz favor de não dizer estas coisas, só vai fazer a pessoa piorar ainda mais, como se ela tivesse o controle da doença. E aos que tem, eu deixo aqui minhas forças e meu testemunho de que conviver com isso não é fácil, mas tenho fé que um dia eu irei me ver livre desta 'fofura'. E você também... Apenas acredite e nunca desista, sempre há uma luz no fim do túnel.



2 comentários:

  1. Olha eu aqui... Um ano depois de sua postagem para dizer que estou sofrendo a mesma coisa. =/
    Como você está, melhorou?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oláaaa, Anônimo... Obrigada por visitar o blog e pelo comentário.
      Nossa, e como você está? :O
      Eu estou bem melhor agora, depois de alguns anos de tratamento, já tem 3 meses que eu não sofri nenhuma crise. Foi bem difícil, mas graças a Deus eu estou conseguindo viver bem...
      Beeeeijos e que Deus esteja com você!

      Excluir

Gostou da postagem? Então comenta... :D
Agradeço...
beijos galáxicos!