segunda-feira, 9 de setembro de 2013

O cachorro

Em uma manhã nublada e consequentemente com uma brisa fria, sentei na varanda de casa para ler um pouco. O livro  que leio é meio filosófico e tem clareado minha mente, pois encaixa com algumas situações que estou vivenciando. Me obrigo a pensar no presente observando os cachorros do meu vizinho.
Vejamos, ele tem um casal de "linguiças", um pouco antes dele sair de carro, ele saiu para entregar um celular para a vizinha dele e os dois cachorros saíram, juntos, atrás dele. Reparei que sou assim! Não exatamente vou atrás de alguém, mas assim como os cachorros, eu dependo dos meus pais. Voltando ao vizinho. Logo mais ele se arrumou e saiu com a mulher e a sobrinha. Bem, não há ninguém em casa. O cachorro bateu, balançou e até mordeu a grade no intuito de querer abri-la e sair, talvez, para ir atrás do vizinho. Percebo e cheguei a conclusão de que preciso ser livre sem depender mais. Por que mesmo que eu coma, beba, durma e tenha minha casa, se meus pais quiserem me deixar presa, eu não vou poder fazer nada, eu dependo... E não vai adiantar eu bater na grade que não adiantará... Porém eu preciso esperar, como o cachorro do meu vizinho, mas para eu mesma possa abrir a grade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da postagem? Então comenta... :D
Agradeço...
beijos galáxicos!