quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Na memória

E lá estavamos mais uma vez o acompanhando naquele momento sepulcral. Estava cedo, Jadson e eu batemos em sua casa, puxamos um papo e ficamos vendo a hora passar, escutando com atenção a saudade do nosso amigo. A missa foi particularmente triste, ele estava tremendo, se segurando para não chorar. E a música tocando suavemente ao fundo, era quase impossível não se emocionar. Cutuquei o Jadson - "Abrace-o" - Mas ele também não estava lá essas coisas... Felippe, que estava ao seu lado, baixou a cabeça e fungou (acho que estava se segurando também).
No término, dei um abraço apertado no Paulo e sussurrei "forças" em seu ouvido, duas vezes. Ele agradeceu.
Como havia mencionado, será difícil a partir de agora e se na nova cidade for o melhor para toda sua familia, então que Deus ilumine o caminho de vocês... Acho que fará bem a todos.
Ficaremos com saudades. Mas se for mesmo, sei que um dia nós iremos nos encontrar e zuar como nos velhos tempos...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou da postagem? Então comenta... :D
Agradeço...
beijos galáxicos!